quinta-feira , outubro 19 2017
Home / Destaque / 25 dias para o Enem, confira dicas para ir bem no exame

25 dias para o Enem, confira dicas para ir bem no exame

Daqui a exatos 25 dias, a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicada, no dia 5 de novembro. Mas não se desespere. Nesta reta final, o CORREIO ouviu professores, especialistas e candidatos, para dar dicas de como aproveitar ao máximo os preparativos finais para o exame.

“O importante agora é conhecer a prova”, conta o professor de Atualidades Ricardo Behrens, do Colégio Antônio Vieira. A prova do Enem tem questões diferentes das questões de outros vestibulares. Elas avaliam as competências, habilidades e os conteúdos previstos na matriz de referência do exame e são compostas segundo diferentes graus de dificuldade: fáceis, médias e difíceis.

As provas mais coerentes conseguem as maiores pontuações, ou seja, os candidatos que acertam mais questões fáceis, médias ou difíceis obtêm maiores notas, atribuídas segundo o método TRI (Teoria da Resposta ao Item). “É uma prova mais justa, o objetivo é que as habilidades dos alunos diante das questões propostas sejam avaliadas”, explica Behrens.

Entre os professores ouvidos pelo CORREIO, foi unanimidade a recomendação de dedicação às provas antigas do exame e aos simulados. “Resolver provas antigas deixa você familiarizado com o estilo da prova”, explica o professor de Química do Análise Pré-Vestibular Fábio Oisiovic.

Além disso, resolvendo provas antigas e simulados é possível relembrar mais assuntos em menos tempo. “As questões sempre agregam dois ou mais assuntos. Assim, você revisa o que está sendo abordado e economiza tempo de estudo”, explica o professor de Biologia Uelen Moura, do Aprovado Pré-Vestibular e da Rede Concurseira.

Reorganização
A candidata Júlia Teixeira, 19 anos, reorganizou os estudos agora na etapa final. “Acho que, quando tá em cima da hora do Enem, é bom focar em fazer exercícios, e não ler textos dos assuntos”, opina ela.

Júlia costumava assistir videoaulas no YouTube para tirar dúvidas de assuntos específicos e fazia um cursinho online por causa da comodidade. “Eu divido as tarefas domésticas com minha mãe e tenho que levar minha irmã na escola e no curso de inglês, então só posso me dedicar aos estudos à noite”, descreve.

Buscar temas mais recorrentes nas provas também é uma dica fundamental – e não só para a redação. Todas as questões do Enem abordam o conteúdo de forma contextualizada. Segundo Behrens, buscar temas recorrentes na prova é muito importante. “Temas ligados à agropecuária, por exemplo, respondem por cerca de 19% da prova [de Ciências Humanas e suas Tecnologias]”, diz o professor.

O tema nunca é abordado diretamente, mas a partir da contextualização em determinada situação que é apresentada. O professor Fábio, do Análise, acrescenta: “Tem assuntos recorrentes em Química, como Soluções, que sempre caem, e pode ser abordado a partir da questão do meio ambiente, contextualizando com a poluição do ar e dos rios. Termoquímica, por sua vez, pode ser relacionada à queima de combustíveis e biocombustíveis”.

Os textos de apoio das questões podem até dar dicas importantes. “Tem que prestar muita atenção! A interpretação do enunciado pode trazer informações que podem levar à resposta correta”, sinaliza Miguel Dratovsky, professor de História, do Análise Pré-Vestibular.

 De olho no tempo
Por outro lado, a apresentação de um cenário para cada questão também torna a prova cansativa. “As questões são grandes, porque todas são um item contextualizado. Mesmo a de Matemática tem um texto com uma situação-problema”, analisa Vinicius Beltrão, consultor pedagógico do SAS Plataforma de Educação.

Por isso, o tempo também se torna um fator importante a ser considerado. No dia 5 de novembro, o aluno tem 5 horas  e meia para resolver as 90 questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, além da Redação. No segundo dia de prova, 12 de novembro, são 4 horas e meia para resolver a prova de Ciências da Natureza e Suas Tecnologias e Matemática e Suas Tecnologias – e o gabarito deve ser preenchido nesse tempo também.

“Em média, o aluno tem de 2 a 3 minutos para desenvolver cada questão”, exemplifica Beltrão. Assim, além de resolver provas e simulados, cronometrar o tempo de resolução é muito importante. “Não adianta ficar 10 minutos em uma questão e no final não ter tempo de concluir o restante da prova. Se encontrar dificuldade, pule para a próxima”, aconselha o professor de Biologia Uelen Moura.

Para economizar o tempo de resolução, encontrar macetes para resolver as questões e mesmo para escrever a redação é muito importante. “Agora o candidato pode buscar aulões para que ele encontre como colocar macetes no texto”, sugere a professora de Redação Patrícia Reis, do Aprovados.

Bruno Ferreira, 27, já cursa Letras na Universidade Federal da Bahia (Ufba) e quer mudar de área. “O Enem é mais viável para entrar no curso do que as vagas residuais”, explica ele, que sonha em cursar Produção Cultural. Apesar da vantagem de estar por dentro dos temas de Linguagens, ele confessa que não tem estudado muito porque tem que dividir o tempo entre a faculdade e o estágio. “Priorizo resolver questões antigas das demais disciplinas”, conta.

 Bruno faz Letras na Ufba, mas quer mudar de área; sem muito tempo, privilegia resolver questões antigas (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Bruno também se preocupa em estar atualizado em relação aos acontecimentos do mundo. “Sempre leio as notícias pela internet”. Para quem é viciado em redes sociais, uma boa dica é curtir as páginas dos veículos noticiosos no Facebook e Instagram. “Seguir páginas de jornais reconhecidos é uma ótima maneira da pessoa aproveitar o tempo”, aconselha a professora Patrícia Reis.

O treinamento é importante para encontrar qual a melhor forma de percorrer essa maratona. “Entender suas fraquezas e pontos fortes é importante para você atingir sua melhor performance”, explica  Vinicius Beltrão, do SAS Plataforma de Educação. E não esqueça de desacelerar: “Cuide do seu psicológico, esteja bem física e emocionalmente e durma bem para estar feliz no dia da prova”, aconselha o professor de Química Fábio Oisiovic. E que comece a contagem regressiva!

Fonte: Correio 24 Horas