terça-feira , novembro 20 2018
Home / Cidade / Amostras feitas em nascentes de Feira de Santana apontam alteração

Amostras feitas em nascentes de Feira de Santana apontam alteração

O resultado das análises das amostras coletadas nas nascentes do Pires (Avenida Ayrton Senna, Mangabeira), da Balança (Parque Getúlio Vargas) e da Rocinha (Lagoa Grande), além da Fonte dos Milagres, na Gabriela, indicou  alteração em alguns parâmetros estabelecidos pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Os estudos feitos nos laboratórios da Escola Politécnica, da Universidade Federal da Bahia, e da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), onde foram analisados os parâmetros físico – químico e microbiológico, foram divulgados esta semana, pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais, durante reunião do  Conselho Municipal do Meio Ambiente (Conama).

Os trabalhos foram coordenados através de parceria do Departamento de Educação Ambiental e a UFBR.

De acordo com a professora doutora Hilda Talma (foto), a maioria das amostras analisadas apresentou nitrato acima dos valores estabelecidos na Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde.

O chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias, afirma que as alterações nos resultados são de baixo impacto, o que não compromete a saúde. “Depois de analisar as outras nascentes do município vamos nos reunir para produzir um relatório sugerindo medidas que devem ser adotadas pelas autoridades”, informa.

Desapropriação de imóveis

João Dias (foto) pontuou a realização de trabalho de conscientização; criação de uma lei municipal proibindo a drenagem de nascentes dos locais de origem; desapropriação de imóveis nas áreas de preservação permanente, obedecendo a legislação ambiental, além de reaproveitar a água azul das nascentes para fins sociais e a recuperação e o monitoramento das nascentes para evitar ocupações.

Além das nascentes foram coletadas amostras em três pontos do Rio Jacuípe: Ponte da BR 116 Sul e nas comunidades Fazenda Amarela e Mergulho, localizadas no distrito Dr. João Durval Carneiro (Ipuaçu).

Coletadas novas amostras

De acordo com João Dias serão coletadas novas amostras no Rio Jacuípe por questão de segurança. “Os valores encontrados dos metais pesados – a exemplo do chumbo, cobre e cádmio – para essas amostras estavam dentro do permitido pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente, resolução 357/2005”, destaca.

Ainda segundo o chefe do Departamento de Educação Ambiental esse trabalho faz parte do projeto “Nascentes Vivas”, cujo objetivo é identificar, recuperar, georreferenciar, produzir mapa hídrico do município e também medir a vazão das nascentes.

“Vamos estender esse trabalho para outras nascentes para identifica-las e analisar o grau de poluição. A partir daí a Semmam vai adotar medidas visando a proteção dessas nascentes”, pontuou o secretário municipal do Meio Ambiente, Arcênio Oliveira (foto).