sexta-feira , março 22 2019
Home / Destaque / Bárbara Borges fala sobre desabafo de ser mãe e alcoolismo

Bárbara Borges fala sobre desabafo de ser mãe e alcoolismo

 

A partir desta segunda-feira, 11, o público poderá rever Bárbara Borges no primeiro papel de sua carreira: a Luiza de “Porto dos Milagres” (2001), novela que será reprisada pelo Canal Viva.

– Eu me lembro até hoje do momento em que recebi a resposta positiva. Eu estava ansiosa porque tinha feito vários testes e não estava rolando nada. Naquele dia, andava por Copacabana (Zona Sul do Rio de Janeiro) e estava chovendo. A produtora de elenco me ligou solicitando que eu fosse ao Projac falar com o diretor Roberto Naar. Pedi que me adiantasse o assunto, mas ela não tinha permissão para isso. Quando cheguei lá, soube que o Naar queria me dizer pessoalmente que eu havia sido aprovada. Naquele momento, eu chorei muito. Gravei com Camila Pitanga, Marcos Palmeira, Tonico Pereira, Joana Fomm e Miguel Thiré, que me acolheram. Fazer parte desta novela foi um grande aprendizado – diz ela.

Na trama, a atriz viveu a filha de Francisco (Tonico Pereira) e Rita (Joana Fomm), uma jovem ambiciosa que tem vergonha da família de pescadores: – Ela tinha o sonho de uma vida melhor. Não a vejo como uma menina malvada, mas como uma pessoa imatura. Ela passou também por muitas situações cômicas e teve cenas bonitas com o pai.

Além de “Porto dos Milagres”, Bárbara está no ar em “Jesus”, como Livona: – Estou gravando a reta final. Esta novela me exigiu muito emocionalmente. A vida de Jesus é uma história que todo mundo conhece, até quem não é religioso. Nos últimos capítulos, a trama da minha personagem estará ligada à do protagonista. Fiz uma sequência em que meus sobrinhos são crucificados junto com Jesus. Quando terminei de gravar, não conseguia parar de chorar.

Aos 40 anos e com mais de 20 de carreira, Bárbara diz que seu último aniversário, no final de janeiro, foi um “momento de reflexão”: – O que eu celebro é a maturidade. A idade me trouxe a firmeza para poder abandonar hábitos que não faziam mais sentido na minha vida. É um momento de pensar no que quero: ter mais qualidade de vida. Fico feliz também de perceber que agora consigo passar por situações que antes considerava difíceis.

Imagem relacionada