terça-feira , novembro 20 2018
Home / Destaque / Começa a contagem regressiva para o horário eleitoral no rádio e na TV

Começa a contagem regressiva para o horário eleitoral no rádio e na TV

A semana que se inicia é derradeira para que candidatos e partidos políticos definam as estratégias para a propaganda eleitoral de 2018. O horário obrigatório em rádio e televisão começa na próxima sexta-feira, 31 de agosto, e segue até o dia 4 de outubro, poucos dias antes das urnas estarem disponíveis para os eleitores.

 

Será a primeira vez na democracia recente que a propaganda eleitoral nos meios de comunicação terá uma duração tão curta: apenas 35 dias. Antes disso, os interessados no pleito de outubro apostaram nas redes sociais, ferramenta que já era explorada em 2014 e agora assume um papel de maior protagonista no desempenho dos candidatos.

 

Enquanto alguns sinalizam que as mídias sociais são o principal foco de investimento para atrair eleitores, a exemplo de Jair Bolsonaro e do próprio Luiz Inácio Lula da Silva, que segue preso desde o mês de abril, outros apostam muito na propaganda em rádio e televisão, a exemplo de Geraldo Alckmin. O tucano não decolou nas pesquisas, mas possui quase o dobro do tempo do horário eleitoral do que o candidato do PT, segundo maior na disputa.

 

A aposta de Alckmin é baseada na força que as inserções tiveram ao longo dos pleitos brasileiros desde 1989, quando finalmente a redemocratização se iniciou. Todavia, a eleição de 2018 é a primeira com encurtamento da campanha e com uma predominância da participação de eleitores nas novas mídias. Por isso, ainda é difícil prever exatamente o papel do rádio, da televisão e das redes sociais nos resultados das urnas.

 

Os dias que antecedem a estreia do rádio e da televisão são os últimos momentos de definir estratégias para a corrida eleitoral. Na campanha presidencial, por exemplo, haverá um embate claro entre o candidato do PSDB e os demais postulantes ao Palácio do Planalto para que Alckmin não seja eliminado da disputa precocemente. Já entre os nanicos em inserções, qual será a estratégia a adotar? Pedir para que acompanhem as ações e os projetos em outras plataformas?

 

Na Bahia, o governador Rui Costa, além de favorito por controlar a máquina, é também aquele com maior tempo no horário eleitoral. Quase o dobro de José Ronaldo, considerado o principal adversário. Como o petista será apresentado na propaganda? Como candidato ou como governador em busca de reeleição, apresentando um resumo dos últimos quatro anos?

 

Com as limitações impostas pela legislação eleitoral, desde o financiamento mais restrito até a demarcação de tempo com os candidatos em tela, os marqueteiros continuarão sendo verdadeiros magos a transformar candidatos medianos em bons nomes? Bandidos em mocinhos? E adversários em demônios?

 

São muitos questionamentos em aberto que só serão respondidos ao longo dos próximos meses e, principalmente, após a contabilidade dos votos. Aos eleitores, cabe esperar para ver um circo de horrores ou propostas que possam realmente mudar a realidade em que estamos inseridos.

 

Este texto integra o comentário desta segunda-feira (27) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios Excelsior, Irecê Líder FM, Clube FM e RB FM.