terça-feira , agosto 14 2018
Home / Destaque / Edvaldo Lima fala sobre decisão de compor a bancada independente

Edvaldo Lima fala sobre decisão de compor a bancada independente

Em pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira (29), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Edvaldo Lima (PP) falou sobre a bancada independente na Casa da Cidadania, formada na última segunda-feira (28). Segundo o edil, a decisão foi tomada com o objetivo de ter acesso direto ao prefeito Colbert Martins para solucionar os problemas da população. O edil afirmou que sempre se considerou independente e que a formação da nova bancada visa beneficiar de forma eficaz os cidadãos feirenses.

“Minha aliança é com o povo, ultimamente tenho recebido muitas cobranças. Como vereadores o nosso papel é atender os reclames do povo. Não sei o que está acontecendo, mas, em Feira de Santana as obras não estão sendo concluídas. Outro ponto que me fez tomar a decisão de me unir à bancada independente foi a ineficácia da nossa liderança governista. Quero deixar claro que não estou fazendo oposição ao governo, mas decidir tratar das pendências diretamente com o prefeito”, esclareceu.

O vereador Ewerton Carneiro, o Tom (Patriota), elogiou o colega pela decisão tomada e disse que alguns vereadores não dispõem de postura coerente com o cargo ocupado. “Convivemos com fofoqueiros sem caráter e essas atitudes só nos atrasam e quem perde é o povo. Estou com o vereador Edvaldo Lima”, declarou.

Já o líder governista, o vereador Lulinha (DEM), afirmou não compreender os reais motivos da decisão dos colegas vereadores. “Suas indicações sempre foram atendidas. Muito me admira reclamarem só agora. Garanto que as obras inacabadas serão concluídas no segundo semestre deste ano. Se olharmos com atenção veremos que Feira de Santana é um enorme canteiro de obras”, retrucou.

Em parte, o vereador Gilmar Amorim (PSDC) discordou do vereador Lulinha. “As obras chegam a passos de tartaruga nos bairro Campo Limpo e George Américo. Tenho pendências com o povo. Se no seu bairro Conceição as coisas vão bem, no meu bairro a situação é bem diferente”, concluiu.