sábado , agosto 19 2017
Home / Destaque / Lutador serrinhense Dony Terrier participa de duas lutas no México

Lutador serrinhense Dony Terrier participa de duas lutas no México

Uma das novas promessas do MMA vem da cidade de Serrinha (BA). Adonilton Muniz de Matos Silva o “Dony Terrier”, de 29 anos, é faixa preta de jiu-jitso e muay thai. O serrinhense, que luta profissionalmente há cerca de cinco anos, viaja para o México nos próximos dias.
Em terras mexicanas, o peso-galo (61 Kg) vai enfrentar o adversário Gilberto “El Azteca” Aguilar, lutador com passagem pelo UFC. A primeira luta é no dia 24 de junho na Ciudad de México, capital do país. O segundo combate, acontece um mês depois, no dia 23 de julho, na mesma cidade.
“Tenho tudo pra fazer uma campanha boa e trazer bons resultados para a Bahia. Vou lutar na casa dele, mas estou confiante porque tenho me preparado bastante”, diz Terrier. Além da Bahia, Dony Terrier já lutou em diversos estados a exemplo do Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Norte, Tocantins e Rio Grande do Sul. O adversário da segunda luta ainda não foi divulgado.
É a primeira vez que luta fora do Brasil. Instrutor de Muai Tai em Serrinha, Terrier lembra que começou no Karatê aos 12 anos e conheceu o Jiu Jitso somente aos 17 anos. Ele, que já foi treinado por equipes como Evolução e Team Nogueira (dos irmãos Minotauro e Minotouro), hoje faz parte da Equipe ZMT (Zé Mário Team) com sede em Lauro de Freitas.
Entre os momentos de dificuldade, ele recorda que em 2012 deixou um emprego de agente penitenciário, com carteira assinada,  em Serrinha para correr atrás de seu sonho em Vitória da Conquista (BA) ao lado de Omar Marom, seu primeiro mestre. Lá iniciou sua qualificação técnica e ganhou confiança pra lutar fora da Bahia. Das 15 lutas que participou, venceu 11.
Projeto Vencedores
Sem muita condição, o lutador busca patrocínios para custear a viagem, mas nem por isso, deixa de ajudar o próximo. Dony Terrier atua junto ao “Projeto Vencedores”, atividade filantrópica que existe a cerca de um ano e assiste cerca de 30 crianças. A parceria envolve trabalhos com Muai Tai e com boxe.
“É uma maneira de tirar crianças da situação de vulnerabilidade social através do esporte. Mas, não faço sozinho. Tenho diversos parceiros que ajudam a transformar essa iniciativa em algo concreto”, salienta o lutador. Assim como acredito no meu sonho e batalho por ele, quero que essas crianças também façam o mesmo e mudem positivamente seu destino”, finaliza.