quinta-feira , agosto 17 2017
Home / Destaque / Mulheres são maioria entre pessoas em tratamento contra tabagismo no CAPSad

Mulheres são maioria entre pessoas em tratamento contra tabagismo no CAPSad

Cerca de 20% das pessoas que estão em tratamento contra algum tipo de vício no CAPSad de Feira de Santana tentam se livrar do cigarro. Mulheres são maioria neste grupo. Na quarta-feira, 31, foi celebrado o Dia Mundial sem Tabaco.

De acordo com a coordenadora do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas, Carolina Carvalho, este índice aumenta consideravelmente quando o tabaco está associado a outras drogas ilícitas e lícitas.

Mulheres em tratamento no CAPSad ser maioria entre os dependentes do tabaco reflete números nacionais. “O fumo se tornou um problema de saúde pública”, afirma a coordenadora. E os efeitos no organismo das mulheres são mais danosos do que no dos homens, apontam estudos.

O aumento de consumo do cigarro entre mulheres, de acordo com especialistas, está associado a uma série de fatores, seja para aliviar a ansiedade, o estresse e a depressão, ou, até mesmo, as tensões do trabalho e de casa. Há ainda razões mais subjetivas, relacionadas com identidade, autoestima, aceitação social, sentir-se madura ou sexy.

No CAPSad, o dependente tem à disposição tratamento contra este e outros vícios. Seja ele medicamentoso – nas tardes de terças-feiras, ou terapêutico – sempre às sextas-feiras pela manhã. Nos fumantes são fixados na pele adesivos de 21mg, 14mg e 7mg, a depender do grau de dependência, que repõem a nicotina e os livram das crises de abstinência.

No primeiro caso os grupos são fechados. Significa que formado, não é mais permitida a entrada de novos dependentes. No segundo caso, é aberto. Qualquer pessoa pode iniciar o tratamento, independente do estágio atingido pelo grupo. Em média, 80% das pessoas que se submetem aos tratamentos conseguem largar o vício.

“Os benefícios para o organismo de largar o fumo são grandes, principalmente para as mulheres”, disse a coordenadora. O tratamento não define prazo para que o fumante largue o vício. Para se medir o grau de dependência todos respondem ao Teste de Fagerstrom, cuja pontuação indica se ele é muito baixo, baixo, médio, elevado ou muito elevado.