segunda-feira , julho 23 2018
Home / Destaque / Mundial de surfe é adiado após ataques de tubarão

Mundial de surfe é adiado após ataques de tubarão

A terceira etapa do Mundial de Surfe está suspensa. A decisão foi tomada pela World Surf League (WSL) após acontecerem dois ataques de tubarão, em menos de 24 horas, em Margaret River, no oeste da Austrália, onde está sendo disputada a competição. As vítimas dos ataques foram surfistas, mas não competidores. Eles tiveram ferimentos e foram socorridos.

Os brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira cairiam na água na noite de segunda-feira (manhã de terça na Austrália), mas se manifestaram e disseram que não estavam se sentindo seguros para competir. A solicitação dos atletas e o risco de novos ataques na região motivaram a decisão da WSL pelo adiamento das baterias.

“A WSL continua avaliando a situação atual em Margaret River Pro, onde ocorreram dois incidentes com tubarões confirmados perto de Gracetown nas últimas 24 horas. Nós agimos com nossos protocolos de segurança bem estabelecidos e estamos reunindo as informações mais recentes para determinar os próximos passos. Continuaremos a colaborar com todos os envolvidos, principalmente os surfistas. A segurança de todos continua sendo primordial. A competição de hoje  já foi cancelada e todos os surfistas foram aconselhados a não surfar na área. Estamos constantemente avaliando a situação e atualizaremos a todos o mais breve possível”, informou o comunicado oficial emitido pela WSL.

Além de Gabriel Medina e Ítalo Ferreira, outros seis surfistas brasileiros vão disputar a terceira fase da etapa australiana do Mundial. Adriano de Souza, Filipe Toledo, Willian Cardoso, Yago Dora, Michael Rodrigues e Jessé Mendes também aguardam a continuação do campeonato. A nova chamada está marcada para as 20h (horário de Brasília) desta terça-feira (17) e será disputada caso não haja mais ataques de tubarões e o mar esteja em boas condições.