sexta-feira , outubro 19 2018
Home / Cidade / Prefeito diz que empresas terão condições de comprar ônibus articulados para o BRT

Prefeito diz que empresas terão condições de comprar ônibus articulados para o BRT

 

O prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho, informou em entrevista , que 90% das obras do BRT em Feira de Santana estão dentro do cronograma. Segundo ele, por ser uma obra de grande porte, houve algumas dificuldades, que foram resolvidas, e outras que ainda estão sendo solucionadas.

“Há algumas questões que tiveram que ser resolvidas, como a construção do CCO (Centro de Operações), que monitora a circulação dos ônibus pela cidade, dentro do BRT, que sofreram alguns ajustes técnicos e conseguimos um local para instalá-lo, na Avenida Rio de Janeiro. E as estações de transbordo: uma na Nóide Cerqueira, uma na Avenida Airton Sena e uma da Pampalona, que tiveram problemas quanto aos terrenos. Nós desapropriamos e depositamos o dinheiro das indenizações na Justiça, mas precisamos de uma decisão judicial para que possamos entrar no terreno e iniciar os trabalhos. Nisso tem um processo de atraso, na Nóide e na Airton Sena”, informou o prefeito.

Ônibus articulados

Com relação à compra dos ônibus articulados, o prefeito afirmou que acredita que, apesar do pedido de recuperação judicial da empresa de ônibus São João, tanto ela quanto a Rosa terão condições de cumprir o acordo.

“Essa decisão judicial, que eu acho que foi muito importante para Feira de Santana, a empresa terá nesses seis meses as condições de se equilibrar. Cada empresa tem que comprar sete ônibus safonados, e eu acredito que elas vão ter capacidade pra isso e cumprir o contrato. Agora, a prefeitura evidentemente tem autoridade para tomar posições e tem comunicado as empresas os nossos pontos de vista, os nossos desejos, sem ameaças, mas fazendo um diálogo seguro e acima de tudo de cumprimento de contrato”, destacou José Ronaldo.

Ele afirmou ainda que a situação do transporte em Feira vem melhorando, com um incremento de 200 mil passageiros ao sistema, nos últimos meses.

“Essas empresas investiram muito dinheiro. No momento em que diminui o número de passageiros, não só aqui, mas em qualquer lugar, com a crise, as empresas têm dificuldade, que está sendo superada porque o sistema está melhorando. Eu diria que de uns seis meses para cá, o número de passageiros está aumentando mês a mês, o que quer dizer que as pessoas voltaram a confiar no sistema de transporte público. Então aos poucos as empresas estão adquirindo e investindo. E eles querem buscar cada vez mais um melhor serviço à comunidade. Alguns estudos profundos estão sendo feitos, e estamos analisando a contratação de uma empresa para fazer uma ação da prefeitura dentro do sistema”.

Shopping Popular

Sobre a polêmica envolvendo a participação de chineses na construção do Shopping Popular de Feira de Santana, cuja responsável pela construção é a Fundação Doimo, presidida pelo empresário mineiro Elias Tergilene, o prefeito José Ronaldo esclareceu que é comum que governos e empresas privadas busquem os investidores chineses. No entanto, ressaltou que os espaços do entreposto comercial serão explorados exclusivamente por brasileiros ou estrangeiros naturalizados.

“Encaminhei à Câmara Municipal um projeto de lei, proibindo que estrangeiros não naturalizados ocupem este espaço. E há uma concordância de que os espaços devem ser para os brasileiros, para aquelas pessoas cadastradas. Nós estamos contratando uma empresa especializada, com o apoio do Sebrae, para poder fazer um recadastramento, porque quando foi feito o cadastramento havia um número de pessoas, mas nós estamos buscando a realidade de hoje e nenhum chinês (não naturalizado) ocupará espaço para comercialização no shopping popular”, enfatizou.

Obras da Artêmia Pires

Questionado sobre o término das obras que liga a Avenida Artêmia Pires à Avenida Nóide Cerqueira, José Ronaldo afirmou que foi feita a pavimentação asfáltica da Rua Tobias Barreto, que liga das duas avenidas. Já a Fernando Pinto, que também faz a ligação entre as duas vias, apenas uma parte foi pavimentada.

“Ali não terminamos porque faltam 150 metros de um lado, que são de oito herdeiros, cujo pai morreu e não têm inventário, e eles não aceitaram abrir sem pagamento. Sem a escritura nós não podemos pagar. Então entramos com uma ação na Justiça, depositamos o dinheiro e estamos aguardando o juiz dar um parecer, pra que a gente possa abrir e eles vão receber o dinheiro na Justiça”, explicou.

O prefeito anunciou ainda que a prefeitura já está pavimentando a Rua Corredor dos Araçás, qual ficará pronta em um prazo de até 15 dias. “Temos outra avenida que chama Jorge Bastos Leal, que está com a metade asfaltada, a outra metade não está, foi uma negociação uma PPP com a empresa CSO, que teve um problema com essa crise, mas ela vai encaixar na Silvio Matos, e da Silvio na Nóide”, completou.