sexta-feira , julho 21 2017
Home / Cultura e Artes / Salvador sedia Festa Literária do Pelourinho

Salvador sedia Festa Literária do Pelourinho

Entre os dias 9 e 13 de agosto, Salvador será palco da primeira Festa Literária Internacional do Pelourinho, a Flipelô. O Centro Histórico, berço da cultura e literatura do Brasil, receberá uma programação diversificada para todas as idades, com saraus, debates com escritores nacionais e internacionais consagrados, oficinas literárias, performances musicais e outras atividades. O evento foi apresentado durante coletiva de imprensa, nesta terça- feira (11).

O projeto celebra os 30 anos da Fundação Casa de Jorge Amado, com um a grande homenagem ao escritor baiano. Para o secretário da Cultura, Jorge Portugal, a Flipelô vai colocar Salvador no mapa dos grandes eventos literários brasileiros. “Jorge é uma figura com um apelo muito forte e o Pelô é o retrato da Bahia para o mundo. O Governo do Estado não pensou duas vezes quando nos foi apresentada a possibilidade da realização dessa Festa Literária. Estamos mergulhando nesse evento de todas as formas.”, afirmou.

Com programação gratuita e aberta ao público, a inciativa é realizada pela Fundação Casa de Jorge Amado, com suporte do Serviço Social do Comércio (Sesc) e patrocínios do Governo do Estado, por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa); além do Ministério da Cultura; e do Instituto CCR, através da Lei Rouanet. De acordo com o superintendente do órgão, Diogo Medrado, o evento terá também uma grande importância para o turismo do estado. “Teremos um grande movimento de participantes nacionais e internacionais. Estamos fazendo o aporte no valor de R$ 250 mil para esse evento, que conta com todo o aparato das secretarias de Cultura e de Comunicação”, explicou Medrado.

Ocupação e cultura

A programação ocupará museus, teatros, praças e outros espaços do Centro Histórico. Para a diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, Ângela Fraga, o resultado será a valorização de toda a região. “É um sonho que a gente vem acalentando já há alguns anos e agora conseguimos realizar através desta parceria. Além de festejar o livro, estamos trabalhando em prol do Pelourinho, que é o grande cenário das obras de Jorge, alavancando toda essa região, com discussões importantes, utilizando os espaços e movimentando toda a cadeia produtiva daqui, os restaurantes e o comércio”.

Marina Mattaraia, gestora do Instituto CCR, acredita que o Flipelô é também uma oportunidade de democratização da cultura. “Essa é uma oportunidade enorme de acesso às diferentes linguagens e formas de expressão. Um evento como esse, em que se é possível trazer linguagens diversificadas, vai fazer toda a diferença para a cultura baiana. O projeto festeja também essa fundação, que tem uma história muito bonita, fazendo um trabalho belíssimo se conectando com essas diferentes formas de expressão”.

Programação

Além de Jorge Amado, outros dois escritores serão homenageados no evento, Zélia Gattai e Myriam Fraga, duas das mais relevantes escritoras e personalidades culturais, diretamente interligadas com a trajetória de vida do escritor. A abertura acontecerá na Igreja de São Francisco, com um sarau de Maria Bethânia, no dia 9 de agosto, às 20h, em uma apresentação para convidados. Com a colaboração de Hermano Vianna e Elias Andreatto, Bethânia vai mesclar leitura e música, com canções pouco usuais em seu repertório, e será acompanhada do violonista Paulinho Dafilin e do percussionista Carlos Cesar.

Dois nomes internacionais participarão de conferências na programação e apresentarão suas obras para o público baiano: a jornalista portuguesa Alexandra Lucas Coelho, autora do livro Vai, Brasil, de crônicas de viagem pelo país; e a romancista Leonora Milano, da França, com origem camaronesa, cuja obra reflete sobre a diáspora negra. A literatura brasileira contemporânea também estará presente com os premiados Franklin Carvalho e Marcio Ribeiro Leite, ganhadores do Sesc de Literatura 2016 e 2008, respectivamente, que participarão do bate-papo Literatura Fatal.

Os escritores Ronaldo Correia de Brito (PE) e Salgado Maranhão (RJ) dialogam com a mediação de José Inácio Vieira de Melo (BA) sobre a cena das letras e do mercado editorial brasileiro. Durante o evento, também será debatido o tema Biografias, com a escritora italiana Antonella Roscilli e a brasileira Jozélia Aguiar, e mediação de Aleilton Fonseca, membro da Academia de Letras da Bahia.

Integra ainda a programação um diálogo entre o professor Pasquale Neto e o professor Jorge Portugal, atual secretário estadual de Cultura, que acontecerá no Museu Eugênio Teixeira Leal, no dia 11 de agosto, às 16h. O encerramento ficará por conta da cantora Jussara Silveira, que fará uma apresentação acompanhada dos músicos Paquito e Luciano Salvador Bahia.