quarta-feira , dezembro 13 2017
Home / Destaque / SSP critica conduta de Kannario e diz que tomará ‘providências judiciais’; cantor fará denúncia

SSP critica conduta de Kannario e diz que tomará ‘providências judiciais’; cantor fará denúncia

A Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) criticou por meio de nota a conduta do cantor e vereador Igor Kannario (PHS) durante sua apresentação na micareta de Feira de Santana, no domingo (21). Na ocasião, ele discutiu com uma policial militar. Kannario teria se irritado ao ver a PM agredindo os foliões que seguiam seu trio.

“A SSP entende que levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. Ressalta ainda que o fato está sendo avaliado e que, caso se configure desacato, a SSP tomará as providências judiciais cabíveis”, diz a nota.

Durante sua apresentação Kannário dispara de cima do trio: “Você é só uma PFem. Eu sou mais autoridade do que você. Eu sou vereador. Me respeite, me respeite! Procure seu lugar”, disse o pagodeiro, que voltou a cantar.

Momentos depois, ele pede para a banda parar e volta a falar para a policial. “Ela tá mandando eu tomar no meu c*. É uma policial mandando eu tomar no c*? Ela tem que me respeitar, pô”, reclamou. Em seguida, ele seguiu com o show normalmente.

Nesta segunda-feira (22), a PM já havia se posicionado sobre o ocorrido. Segundo a corporação, as imagens de videomonitoramento do circuito da festa serão avaliadas para apurar a existência do fato, pois as imagens veiculadas não mostram nenhum tipo de conduta inadequada por parte de PMs. Também não havia registro de agressão de policiais contra foliões.

Ainda em nota, a SSP afirma que vai apurar os supostos excessos cometidos durante a festa, evento no qual participaram as corregedorias da PM e da SSP em regime de plantão, para receber qualquer tipo de denúncia abuso policial.

A assessoria do cantor lançou nota em seu perfil no Instagram afirmando que Igor “ficou abismado e surpreendido com o que viu do alto do trio elétrico” e que foi necessário “parar de tocar várias vezes em razão da violência policial”. A nota diz ainda que o cantor visualizou um policial militar agredindo “crianças, mulheres e trabalhadores sem motivo algum”.

Por conta da situação, o vereador informou que pedirá a designação de uma Audiência Pública na Câmara para que o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Ancelmo Alves Brandão, esclareça os fatos e tome providências. Ele ainda irá apresentar uma representação perante o Procurador Geral do Ministério Público do Estado da Bahia e para a Corregedoria da PM para que apurem a violência praticada.

Veja notas na íntegra:

A Secretaria da Segurança Pública enfatiza que a Polícia Militar da Bahia é uma das mais qualificadas no Brasil em atuação em grandes eventos, servindo, inclusive de modelo para outros estados, que com frequência procuram a Bahia para ter acesso aos modelo de policiamento utilizado em multidões. Assim como as demais forças de Segurança do estado, a PM- BA foi destacada com a melhor nota das avaliações da Copa do Mundo 2014 e, nas Olimpíadas Rio 2016 não foi diferente.

A SSP ressalta ainda que está aberta a toda crítica fundamentada às polícias estaduais e que vai apurar os supostos excessos cometidos durante a Micareta de Feira de Santana, evento no qual participaram as corregedorias da PM e da SSP em regime de plantão, para receber qualquer tipo de denúncia abuso policial.

No entanto, a SSP entende que levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. Ressalta ainda que o fato está sendo avaliado e que, caso se configure desacato, a SSP tomará as providências judiciais cabíveis.

Por fim, a SSP reafirma que todo excesso policial deve ser denunciado, seja através da Ouvidoria Geral 3450-1212, redes sociais da instituição (Facebook, Twitter, Instagram), Disque-Denúncia (71 3235 0000) ou por meios das corregedorias policiais.

Fonte: Correio24hs