domingo , dezembro 16 2018
Home / Destaque / Trabalhadores em educação da rede municipal fazem paralisação com manifestação na câmara municipal

Trabalhadores em educação da rede municipal fazem paralisação com manifestação na câmara municipal

Trabalhadores em educação da Rede Municipal de ensino de Feira de Santana paralisaram as atividades e fizeram uma grande manifestação na manhã desta quarta-feira, 1. O protesto  aprovado em assembleia no último dia 23 de julho, saiu da sede da entidade com a presença da charanga da filarmônica cachoeirana Lyra Ceciliana e um minitrio, seguindo até a Câmara Municipal que voltou do recesso hoje, para solicitar agilidade na votação do projeto de lei que concede o 4% restante do Reajuste salarial, retroativo a janeiro e o pagamento dos 5% da Regência de Classe aos professores do Ensino Fundamental II, que deveria ser efetuado em janeiro,  bem como o apoio às reivindicações da categoria. A categoria constatou que tinha chegado à Câmara de vereadores neste dia 1 de agosto, apenas o projeto de lei do reajuste salarial, mas não o dos 5% da Regência de classe do Ensino Fundamental II. Com isso, os trabalhadores resolveram seguir até a Prefeitura, onde cobraram o envio do Projeto do Fundamental II, e avanço nas negociações sobre os Precatórios do FUNDEF, reafirmando o posicionamento da categoria de garantir o direito aos 60% do valor de 248.644.454,00 milhões, que já estão nos cofres do Município, para os trabalhadores em educação, ativos e aposentados.

A manifestação seguiu até a Secretaria Municipal de Educação para reivindicar as pendências da categoria, que além dos citados anteriormente, incluem a Alteração de Carga horária de 20h para 40h e o Plano de Carreira Unificado. A secretária da pasta, Jayana Ribeiro, se reuniu com a comissão de representantes da categoria e com a APLB Feira, onde discutiu os pontos de pauta dos trabalhadores em educação. Foi definido que a Secretaria irá construir o Projeto de Lei, com as condições necessárias para pagamento dos 5% da Regência de Classe aos professores do Ensino Fundamental II, e enviar imediatamente o Projeto de Lei à Câmara de Vereadores para ser aprovado. Sobre a Alteração de Carga Horária dos professores que solicitaram, a Secretária solicitou que a APLB Feira enviasse novamente uma lista com os professores que ainda não foram contemplados. Sobre o Plano de Carreira Unificado, a Secretária concordou com a proposta  de convocar a Comissão  que construiu o Plano de Carreira Unificado, para realizar um estudo sobre os impactos orçamentários a fim de acelerar a reformulação da referida lei, para a melhoria e valorização dos trabalhadores em educação; os funcionários, professores, diretores (vices) e especialistas em educação.

 A categoria definiu que irá aguardar até a próxima semana onde irá solicitar através do jurídico do Sindicato, o avanço nas negociações sobre os recursos dos Precatórios junto a Procuradoria do Município.