segunda-feira , outubro 21 2019
Home / Destaque / Bahia cogita ter time próprio feminino de futebol

Bahia cogita ter time próprio feminino de futebol

O Bahia Lusaca passará por mudanças em breve. O motivo é que, após sete meses da parceria que é válida até novembro, o Bahia quer ser protagonista na gestão do futebol. E para isso, estuda duas possibilidades: separar-se do Lusaca e criar um time próprio ou manter a parceria, com a condição de participar ativamente do futebol já a partir de agosto. Atualmente, as decisões do setor ficam a cargo do Lusaca, como escolha de elenco, comissão técnica e supervisão, enquanto o tricolor entra com logística (campo, materiais de treino, departamento médico) e salários das jogadoras. Por sinal, o tricolor assumiu esse último item em abril, quando passou a fazer repasses mensais ao Lusaca para pagamento das atletas. Até então, elas tinham direito apenas a uma ajuda de custo, que não estava sendo paga.

Lusaca alega falta de verba

Procurado pelo CORREIO, o presidente do Lusaca, Djailton Conceição, afirma que a ajuda de custo das jogadoras nos primeiros meses do ano não foi paga por falta de verba. “O Lusaca não tem política de pagar salário, nunca teve. Com a vinda do Bahia, a gente perdeu alguns patrocínios. As atletas sabiam que só teria ajuda de custo se tivesse a verba de patrocínio”, alega. O pagamento em ajuda de custo é comum no futebol feminino baiano.

Governo promete política de incentivo

A euforia em torno da seleção brasileira feminina na Copa do Mundo deve render frutos em breve. Em sessão especial realizada na Assembleia Legislativa na semana passada, o governo do estado, através da Setre e da Sudesb, prometeu lançar  um projeto de iniciação esportiva para a modalidade neste segundo semestre – que começa hoje. Além disso, anunciou a realização da Copa Loreta Valadares, com 20 times, de agosto a outubro.

Vitória com roupa nova para todos

O novo enxoval da Kappa já está sendo usado pelo Vitória em todas as versões e categorias. As camisas de treino começaram a ser utilizadas pelo elenco profissional no dia 27 de junho. Até então, o time havia jogado três partidas da Série B com a nova fornecedora, mas ainda treinava com a antiga, a Topper. A garotada sub-20, que estreou no Brasileiro no dia 26, empatando com o Santos em 2×2, também vestiu Kappa. O mesmo aconteceu com o time de aspirantes no empate de 1×1 contra o Santa Cruz, no dia 28. A mudança implica em uma evolução em relação à fornecedora anterior, já que, com a Topper, só o time profissional usava o uniforme do ano corrente.

Jogador do Bahia abre mão de folga

O volante Yuri, do Bahia, ganharia folga durante a pausa da Copa América, assim como os demais jogadores, mas pediu para ficar com o time de aspirantes, que continua em atividade. Quer recuperar o tempo perdido após a cirurgia no joelho esquerdo, em janeiro, que o tirou da pré-temporada.

Vitória e Mata de São João: parceria pode se estender

Além do futebol feminino, Vitória e prefeitura de Mata de São João negociam para levar jogos de outras categorias ao CT da Praia do Forte, como o sub-20. A parceria pretende também criar um núcleo do projeto social Vitória Cidadania no município, com o clube capacitando professores da rede pública.