quarta-feira , outubro 16 2019
Home / Destaque / Conheça mitos do sono que podem afetar a qualidade do seu descanso

Conheça mitos do sono que podem afetar a qualidade do seu descanso

Deixar a televisão ligada no quarto ajuda a dormir melhor? Se está sem sono o melhor é insistir e ficar deitado na cama? Sempre aparece alguém com alguma recomendação de como melhorar a qualidade do sono, com dicas que vão do “leite morno” até “dividir as horas de repouso” durante o dia. Mas o que é verdade é o que não é?

Um estudo publicado na revista Sleep Health apresentou as recomendações mais comuns para se ter uma boa noite de sono, mas que podem prejudicar a qualidade do repouso. A consultora do sono da Duoflex, Renata Federighi, explica como esses mitos podem prejudicar a saúde e o bem-estar das pessoas e como evita-los.

“O sono tem um papel importante no organismo dos seres vivos, por isso precisamos prezar pela qualidade dele. O repouso é fundamental para proteger a saúde mental e física do indivíduo. A regeneração celular, a regulação de hormônios indispensáveis ao funcionamento do nosso organismo, como o cortisol (relacionado ao estresse) e a manutenção do sistema imunológico acontecem enquanto dormimos”, explica a especialista.  

Mas quais seriam os mitos ligados ao sono que podem prejudicar o repouso das pessoas?

“Você só precisa de 5 horas de sono por dia”

Na correria do dia a dia é comum que algumas pessoas se privem do sono para “aproveitar” mais as horas acordado, seja para trabalhar ou para se divertir. No entanto, essa opção pode se tornar uma das mais prejudiciais à saúde. “A privação do sono deixa o indivíduo propenso a desenvolver algumas doenças e distúrbios a longo prazo.  Fadiga crônica, alteração no humor, irritabilidade, stress, doenças cardiovasculares, distúrbios hormonais, digestivos e neuropsicológicos, são alguns males que podem surgir”, comenta.

A recomendação de consultora é que um adulto precisa dormir em média 8 horas por noite, para manter a saúde e o bem-estar. No entanto, frisa que a quantidade de horas de sono pode ter uma pequena variação de um indivíduo para outro. O mais importante é dormir e acordar com a sensação de que realmente descansou.

“Você pode recuperar o sono no final de semana”

A crença de que é suficiente dormir 5 horas por noite, traz também o mito de que é possível recuperar esse tempo perdido. Um estudo realizado por pesquisadores da universidade do Colorado, mediu os efeitos do repouso no final de semana para compensar a privação do sono. Eles chegaram à conclusão de que, mesmo aqueles que dormiram mais como compensação, sofreram consequências negativas ao atrasar o relógio circadiano.

“Ter uma rotina do sono é muito importante para o organismo. Mesmo que o cansaço físico seja curado, o sistema imunológico é afetado, deixando a pessoa propensa a doenças”, destaca Renata.

“Ligue a TV para relaxar”

Não somente a televisão, mas smartphones, notebooks e tablets atrapalham o momento do descanso. “O uso noturno de equipamentos eletrônicos prejudica o sono, porque a luz azul emitida por esses aparelhos interfere na produção de melatonina, hormônio indutor do sono liberado somente no escuro, fazendo com que o corpo entre em estado de alerta ao invés de relaxar”, explica.

O indicado pela especialista é utilizar até 30 minutos antes de dormir, reduzindo a intensidade da luz ou optando pela luz amarela, já disponível em alguns aparelhos. Evite levar o celular também para próximo da cama, para que os avisos luminosos e sonoros durante o período de descanso não comprometam a qualidade do sono.

“Fique na cama até dormir”

Não adianta virar de um lado para o outro se o sono não chegou. “Não existem ovelhas no mundo para contar que resolvem essa situação. O ideal nessas horas é levantar e fazer alguma atividade relaxante, como ler um livro. Evite o uso de aparelhos eletrônicos”. aconselha

Outro problema apontado pela consultora é o de associar a cama com insônia. Tornando essa luta na hora de dormir constante.

“O álcool vai te ajudar a dormir”

Seja uma taça de vinho ou um copo de cerveja, bebidas alcoólicas ajudam a relaxar, mas não ajudam a dormir melhor, podendo se tornar um vilão para o repouso. “Ao contrário do que muitos pensam, após alguns goles, a bebida pode afrouxar as estruturas da região da faringe, comprometendo a respiração. E o resultado é o ronco, que prejudica o sono”, comenta Renata.

Além disso, na hora de dormir é indispensável que alguns hábitos sejam preservados, dentre eles, manter um ambiente arejado, escuro e silencioso, seguir uma alimentação leve e saudável, evitar atividade físicas e estimulantes próximo ao horário de deitar, utilizar colchões e travesseiros adequados ao biótipo da pessoa. “Para descansar com conforto, relaxar melhor e evitar microdespertares noturnos, o travesseiro deve preencher completamente o espaço existente entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço, mantendo coluna cervical e lombar sempre alinhadas. Durma, de preferência, de lado, com as pernas semiflexionadas e mantenha um travesseiro baixinho entre elas, a fim de evitar a rotação da coluna e os atritos entre os joelhos e os tornozelos”, indica a consultora da Duoflex.