Sexta, 24 de Junho de 2022
18°

Pancada de chuva

Feira de Santana - BA

Ciência Ciência

Obesidade pode reduzir produção de testosterona em homens

O Brasil foi o país em que as pessoas mais engordaram em 2020

21/03/2022 às 15h00
Por: Jornalismo Fonte: Agência Dino
Compartilhe:

De acordo com pesquisa feita pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), que investigou o eixo hormonal de indivíduos acima do peso, a obesidade pode influenciar a produção de testosterona (hormônio masculino essencial para o bem-estar, desempenho sexual e qualidade de vida). O resultado da análise aponta para o fato de que a obesidade pode estar ligada a questões de saúde, como câncer e diabetes, por exemplo.

A pesquisa contou com 3,5 mil pacientes separados em grupos de acordo com a faixa etária. A partir disso, foi observado que homens obesos com circunferência abdominal superior a 102 centímetros possuem cinco vezes mais probabilidade de ter deficiência de testosterona do que os que não são obesos.

"Historicamente atribui-se a queda da testosterona ao envelhecimento. O nosso estudo mostra que a idade dos homens com e sem testosterona foi a mesma. O que nos chamou atenção foi que a obesidade esteve fortemente associada à queda de testosterona em qualquer faixa etária. A mensagem mais importante é que todos os esforços devem ser feitos para evitar a obesidade", explica o médico urologista e coordenador da pesquisa.

Conhecendo a obesidade

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é uma doença crônica que pode estimular problemas para a saúde, sendo necessário acompanhamento clínico e tratamento com especialistas. Essencialmente após o começo da pandemia da Covid-19, foi observado um crescimento de pessoas acima do peso.

"Dados - tanto oficiais quanto observacionais - mostram que as pessoas, ao invés de melhorarem o seu consumo alimentar, passaram a comer muito pior. Nós observamos, na nossa clínica, pessoas aumentando grandes quantidades de peso e transformando-se em obesas ao longo da pandemia", conta a médica nutróloga e professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), Marcella Garcez.

A obesidade, até mesmo antes da pandemia da Covid-19, já era uma questão. De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 26,8% dos brasileiros com mais de 20 anos de idade eram obesos em 2019; e 61,7% da população adulta do Brasil tinha excesso de peso. Nesses casos, é recomendado um estilo de vida mais saudável, com atividades físicas regulares, descanso e dieta balanceada. Apesar disso, alguns fatores podem atrapalhar o emagrecimento, sendo importante um acompanhamento clínico e contar com uma farmácia de manipulação.

Brasil é o país onde as pessoas mais engordaram em 2020

De acordo com pesquisa da Ipsos Global Advisor, o Brasil foi o país onde as pessoas mais engordaram em 2020. Foi observado que 52% dos entrevistados ganharam mais peso desde o começo da pandemia do novo coronavírus - que afetou não só a saúde mental das pessoas, mas também a física. A média global foi de 31%, com cerca de 6,1 kg. Para a entrevista, mais de 22 mil pessoas foram consultadas, sendo realizada entre outubro e novembro de 2020.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias