GOVERNO DO ESTADO OBRA POR TODA BAHIA
Dividas

Portabilidade de crédito pode reduzir o juro de suas dívidas em até 50%

É possível fazer a portabilidade de cadastro, de contas-correntes, de contas-salários e de todas as linhas de crédito

21/01/2020 08h23
Por: Redação

Como a Selic está no menor patamar da história e o aumento da concorrência vem ajudando a derrubar o custo dos empréstimos, consumidor precisa pesquisar e negociar com o gerente taxas mais baixas

Com a taxa básica de juros (Selic) no menor patamar da história, de 4,5% ao ano, o número de operações de transferência de dívida de um banco para outro, chamada de portabilidade, vem crescendo a todo vapor. Ao fazer a migração, o consumidor pode  melhorar as condições do empréstimo e, no fim das contas, dimuir o valor das parcelas. Em alguns casos, se o correntista souber negociar com o gerente do banco, ele pode até cortar a despesa financeira pela metade.

Segundo dados do Banco Central, o total de pedidos de portabilidade efetivados foi de 486.959 em novembro de 2019, o maior valor em três anos. Esse número é quase quatro vezes superior aos 130.769 concretizados mesmo mês de 2016. No penúltimo mês do ano passado, 540 foram pedidos de migração de empréstimo imobiliário, modalidade que vem registrando aumento maior devido à recente queda dos juros para financiamento da casa própria.

É possível fazer a portabilidade de cadastro, de contas-correntes, de contas-salários e de todas as linhas de crédito, inclusive as mais caras, como as do cartão de crédito e do cheque especial. Essa migração pode ser mais vantajosa em modalidades de crédito com  prazos longos, como é o caso do empréstimo imobiliário.

“A portabilidade é um dispositivo muito interessante. A principal vantagem é que estimula a concorrência entre os bancos. O mercado de crédito brasileiro é muito concentrado, e não era fácil mudar um contrato após assumi-lo. Como a taxa básica de juros define maior parte dos contratos de financiamento, o governo está dando um estímulo mais agressivo para que isso ocorra”, destaca o educador financeiro, Jônatas Bueno.Continua depois da publicidade

No fim do ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou as possibilidades da portabilidade de crédito. A  inclusão do cheque especial nesse sistema valerá a partir de abril de 2020. A decisão também permite que operações de financiamento imobiliário contratadas originalmente fora do Sistema Financeiro de Habitação (SFH)  sejam enquadradas na portabilidade.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários