terça-feira , novembro 12 2019
Home / Destaque / O uso do Ômega-3 na melhora do rendimento físico

O uso do Ômega-3 na melhora do rendimento físico

Para manter a saúde do corpo e da mente em dia, muitas pessoas buscam a prática de atividades físicas. Mas para ter o melhor rendimento possível, o atleta depende de diversos fatores, como frequência e intensidade dos treinos, duração da prática esportiva, acompanhamento nutricional, e até o tempo dedicado ao repouso. Essas condições são codependentes umas das outras, ou seja, uma influência no resultado da outra. Como é o caso da suplementação, presente no acompanhamento nutricional.

Após a prática de treinos prolongados e exaustivos, por exemplo, o esportista fica mais vulnerável a ter dores musculares, lesões e até infecções. Nesse caso, podemos ver como a suplementação pode auxiliar na melhora do rendimento. Já que quando há a inserção do ômega-3, sobretudo, com EPA e DHA, o processo inflamatório do músculo lesionado pode ser reduzido, o que otimiza o tempo de recuperação. Um estudo feito em 2014 avaliou os impactos da suplementação do nutriente nas dores musculares e no bem-estar de atletas. Os resultados confirmaram; quem foi suplementado com o ômega-3 teve uma menor incidência de dores musculares, e estes participantes ainda relataram uma melhora na qualidade de vida.

Outro estudo, feito em 2019, observou que exercícios físicos intensos podem causar inflamação, aliada a dores, inchaços, perda da função muscular e alteração do sistema imunológico, o que pode gerar a redução do rendimento esportivo.  Nesse caso, o ômega-3 influencia na função das células imunes, o que auxiliam no processo inflamatório do músculo lesionado. Assim os autores puderam identificar uma série de melhoras em quem foi suplementado com o óleo de peixe. Foi notado que o nutriente auxiliou no equilíbrio dos níveis de colesterol no sangue, na melhora da respiração após exercício, e também na proteção contra o processo inflamatório.